logo

quinta-feira, 7 de junho de 2018

[economia] Petrobras anuncia 4ª redução seguida no preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou uma redução de 0,48% no preço da gasolina comercializada nas refinarias. Com o reajuste, o litro da gasolina nas refinarias passará de R$ 1,9617 para R$ 1,9521 a partir desta sexta-feira (8). Trata-se da 4ª queda seguida.

Nesta quinta-feira (7), o preço da gasolina foi reduzido em 0,45%, e na quarta-feira (6) a redução foi de 1,35%. Já na terça, a queda foi de 0,68%. Em 1 mês, entretanto, o combustível ainda acumula alta de 6,06% nas refinarias.

Desde o início de maio, já foram anunciadas 14 altas e 10 quedas no preço da gasolina. Veja tabela abaixo:
Evolução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias (Foto: Divulgação/Petrobras)

Já o preço do diesel seguirá em R$ 2,0316 o litro nas refinarias até esta quinta-feira, conforme ficou estabelecido pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias. Com a redução, o preço do combustível recuou 2,68% na comparação com o início de maio.

O repasse dos preços cobrados nas refinarias para as bombas depende das distribuidoras e dos donos dos postos. Nas últimas semanas, os cortes anunciados pela Petrobras não foram sentidos pelos consumidores, em meio à crise de abastecimento provocada pelos protestos dos caminhoneiros.

Levantamento semanal divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) mostra que o preço médio do diesel subiu 1% nos postos, enquanto que o da gasolina avançou 4%, na comparação com a semana encerrada no dia 26 maio, quando os caminhoneiros ainda estavam em greve.

A Petrobras adotou novo formato na política de ajuste de preços em 3 de julho do ano passado. Segundo a nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar.

As críticas à política de preços da Petrobras foram um dos fatores que provocaram a greve dos caminhoneiros e culminaram no pedido de demissão de Pedro Parente.

[cotidiano] Inadimplência do Fies dobra desde 2014, e 41% não pagam as parcelas há mais de três meses

Depois de um período de crescimento desenfreado de novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), de 2011 a 2014, o Ministério da Educação lida agora com um aumento contínuo da inadimplência dos ex-estudantes. Dados obtidos com exclusividade pelo G1 por meio da Lei de Acesso à Informação mostram que a taxa de inadimplência dobrou de 18,9%, entre dezembro de 2014, para 41% em março de 2018, período mais recente das informações repassadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

No mercado, um devedor é considerado inadimplente apenas quando está há pelo menos 90 dias sem pagar o valor devido. Em março, esse era o caso de 249.433 estudantes.

Muito maior do que a expectativa original de 10% de inadimplência, essa parcela de devedores representa 41% do total de 612.225 pessoas financiadas pelo Fies que já passaram pela fase de financiamento e a fase de carência (período em que o valor já foi inteiramente financiamento, mas o devedor ainda não precisa começar a pagar de volta), e entraram na fase de amortização.

Mesmo com o crescimento constante da inadimplência, o governo ainda não definiu as regras do Programa Especial de Regularização do Fies, que já estava incluído na MP do Novo Fies, aprovada no Senado Federal em novembro do ano passado. Ao G1, o FNDE afirmou que "ainda não há qualquer contrato vinculado a esse Programa" por causa da falta de regulamentação.
Fies: veja o histórico de inadimplência

O FNDE só começou a divulgar dados sobre a inadimplência do Fies a partir de 2015, alegando que, antes o número de contratos que já estavam na fase de amortização era muito pequeno.

Atualmente, mais de 600 mil estudantes já estão pagando as parcelas do Fies, mas cada vez menos conseguem cumprir os prazos das parcelas. Em março, o total de contratos na fase de amortização, mas com atraso de um a 89 dias no pagamento de parcelas, era de 128.689. Somados aos contratos já considerados inadimplentes (com atraso de pelo menos 90 dias), eles representam 378.122.

Isso quer dizer que, em março, apenas 234.103 contratos estavam cumprindo os prazos de pagamento.

Os números mostram que o número de pessoas em dia com o Fies já é menor que os que estão com atraso de pelo menos um dia desde dezembro de 2017.

[economia] Dólar continua a subir e vai a R$ 3,91

O dólar continua a subir em relação ao real nesta quinta-feira (7) e chegou a operavar acima de R$ 3,90 no início dos negócios, com os investidores ainda cautelosos diante das incertezas nos quadros fiscal e político.

Às 11h02 a moeda norte-americana tinha valorização de 1,11%, a R$ 3,8797. Na máxima até agora, a cotação chegou a R$ 3,9133.

O dólar não era cotado acima dos R$ 3,90 desde março de 2016.

Na véspera, a moeda subiu 0,72%, a R$ 3,8371 na venda. Na máxima do dia, chegou a R$ 3,8493.

Efeito greve

Para o economista Alexandre Cabral, um misto de notícias contribui para a desvalorização do real.

"A Anfavea divulgou ontem que 25 mil carros deixaram de ser entregues devido à greve dos caminhoneiros e o mercado passou a ter certeza que o PIB do segundo trimestre vem pior do que o esperado. E hoje de manhã foi divulgado o IGP-DI, pela FGV, que mostrou uma inflação de 1,64% em maio, forte devido a vários fatores como a paralisação e a desvalorização do real", afirmou.

Intervenção do BC

O BC oferta nesta sessão até 8.800 swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de julho. Também ofertará até 15 mil novos swaps.

O Tesouro Nacional decidiu reforçar sua intervenção na renda fixa. A instituição realiza hoje e amanhã leilões de compra e venda de títulos públicos prefixados (NTN-F).

[justiça] MPF denuncia mais de 60, incluindo Sérgio Cabral, na Operação Câmbio Desligo

O Ministério Público Federal denunciou 62 pessoas na Operação Câmbio Desligo, desdobramento da Lava Jato n oRio. O grupo é acusado de formar uma organização criminosa, desde a década de 90, que promoveu evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

O ex-governador Sérgio Cabral e o doleiro Dario Masser, apontado como o "doleiro dos doleiros", estão entre os denunciados.No mês passado, a Operação Câmbio Desligo prendeu 30 pessoas em quatro estados. Os alvos eram doleiros suspeitos de movimentarem R$ 1,6 bilhão em 52 países.

Os suspeitos integravam um sistema chamado Bank Drop, no qual doleiros remetem recursos ao exterior através de uma ação conhecida como “dólar-cabo”.

Trata-se de um câmbio que envolve depósitos em contas em diferentes países, mas o dinheiro não é rastreável pelo Banco Central: doleiros recebem no Brasil e compensam em contas no exterior. Por não haver remessa, muito menos registro, o montante escapa das autoridades e dos impostos.

Os procuradores sustentam que a rede de doleiros operava lavando dinheiro para diversas organizações criminosas, inclusive a que o ex-governador foi condenado por liderar. Ele nega.

O "vultuoso" volume de recursos desviados, nas palavras dos investigadores, envolveu dezenas de doleiros espalhados pelos principais centros comerciais do país. A operação só foi possível porque dois deles, Vinicius Clarer (Juca), e Cláudio Fernando Barboza, o Tony, fizeram delações premiadas.

Sérgio Cabral já foi denunciado 23 vezes pela Lava Jato. Nas outras 22, ele já se tornou réu — sendo que em cinco delas a Justiça já o condenou em primeira instância. Em nenhuma foi absolvido até agora, restando ainda 17 julgamentos.

[segurança] Agências bancárias, lotérica e lojas são arrombadas em três municípios do RN

Três municípios potiguares foram alvo de bandidos na madrugada desta quinta-feira (7). Bancos, uma casa lotérica, um posto de combustíveis e uma farmácia foram arrombados nas cidades de Ceará-Mirim, Lagoa Salgada e Angicos. Em todos os casos, os criminosos chegaram em carros e armados. Ninguém foi preso.

Angicos

Em Angicos, bandidos arrombar a agência do BB. Um malote de dinheiro foi levado (Foto: Clayton Carvalho/Inter TV Cabugi)

No município de Angicos, na região Central potiguar, os bandidos arrombaram a agência do Banco do Brasil e levaram um malote de dinheiro. De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 3h. Pelo menos oito homens participaram da ação. Eles fugiram em dois carros.

A PM disse que chegou ao local no momento da fuga. Houve troca de tiros, mas ninguém foi ferido. Os criminosos ainda espalharam grampos de ferro pela rodovia, e levaram duas pessoas como reféns. Ambas foram libertadas instantes depois.

Lagoa Salgada

No município de Lagoa Salgada, na região Agreste, três carros com cerca 10 pessoas invadiram a cidade e arrombaram a agência do Bradesco. Uma farmárcia e um posto de combustíveis também foram alvo dos assaltantes.

De acordo com a PM, a ação criminosa conteceu por volta das 3h. Antes dos arrombamentos, os bandidos espalharam grampos pela via que dá acesso à cidade e usaram um caminhão para obstruir a passagem de outros veículos. Além disso, o dono do caminhão e um vigia de rua foram feitos reféns, mas liberados em seguida.

Nada foi levado do banco. Na farmácia e no posto, foram roubados vários produtos.

Ceará-Mirim

Na lotérica, em Ceará-Mirim, os assaltantes tiveram acesso ao cofre, mas não conseguiram levar o dinheiro (Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi)

Em Ceará-Mirim, na Grande Natal, cinco homens em dois carros arrombaram uma casa lotérica no centro da cidade. Os criminosos chegaram a ter acesso ao cofre, mas não conseguiram levar o dinheiro porque o cofre, que é muito grande, não passou pela porta. Os criminosos ainda tentaram quebrar a parede, mas também não tiveram sucesso.

Durante a ação, moradores disseram à polícia que ouviram o barulho de vários tiros.

[segurança] Ambulância e carro do Corpo de Bombeiros são incendiados em Mossoró

Uma ambulância e um carro do Corpo de Bombeiros foram incendiados na madrugada desta quinta-feira (7) em Mossoró, cidade da região Oeste potiguar. De acordo com a Polícia Militar, quatro homens foram até uma base da corporação que fica na BR-304, por volta das 2h, e metralharam o prédio. Em seguida, atearam fogo nos veículos. Dentro do posto, foi deixado um cartaz de cartolina com siglas de uma facção criminosa.

Ainda segundo a PM, dois adultos e dois adolescentes foram detidos em uma casa e levados como suspeitos para a Delegacia de Plantão da Polícia Civil.

Base do Corpo de Bombeiros da BR-304, em Mossoró, foi alvo de criminosos; uma ambulância e um carro da corporação foram incendiados (Foto: CBM/Divulgação)

O posto atacado nesta madrugada é o mesmo que tentaram incendiar na madrugada do domingo (3). O fogo atingiu parte da estrutura, mas causou pouco dano.

Ainda na madrugada, bandidos também atearam fogo em uma base desativada da Guarda Municipal no bairro Paredões. O Corpo de Bombeiros foi chamado e as chamas logo controladas. Neste caso, ninguém foi preso.

A Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) – que até o momento trata os ataques que vêm ocorrendo no estado como atos isolados, sem atribui-los a ações coordenadas por facções criminosas – disse em nota que os órgão de segurança estão reunidos e que os casos, um a um, estão sendo analisados e que em breve terá um posicionamento oficial.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

[cotidiano] Caminhoneiros prometem nova greve se tabela de fretes for alterada

Enquanto as empresas transportadoras se movimentam para mudar a tabela do frete mínimo, os caminhoneiros acompanham, ressabiados, o andamento das negociações em Brasília. Nesta quarta-feira 6, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai buscar uma readequação para os valores previstos na tabela.

Nas redes sociais, os motoristas temem que o lobby dos grandes grupos consiga derrubar a tabela recém-instituída pelo governo como contrapartida ao fim da greve. Mas eles prometem resistir. “Se essa tabela cair, vai ter uma greve pior que a última. E aí não vai ter negociação, pois eles vão querer provar para o mundo que são fortes, vai ser uma grande revolta”, diz Ivar Luiz Schmidt, representante do Comando Nacional do Transporte (CNT) e que foi o grande líder da paralisação de 2015.

Foi ele quem criou os primeiros grupos de caminhoneiros no WhatsApp para organizar os protestos daquele ano. Hoje, Schmidt participa de quase noventa grupos na rede. “Está todo mundo só esperando que a tabela seja derrubada para parar tudo de novo”, afirma. “E, pelo que estou vendo no WhatsApp, pode ter certeza de que isso vai acontecer.”

A tabela de preço mínimo do transporte rodoviário – definida às pressas pelo governo para interromper a greve na semana passada – é considerada a maior vitória dos caminhoneiros nos últimos tempos. Mas, diante da reação do empresariado (principalmente representantes do agronegócio), eles começam a temer que essa conquista esteja com os dias – ou horas – contados.

“Não vejo coisa muito boa vindo pela frente, mas vamos lutar para encontrar um meio-termo para ambas as partes”, afirma o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José Fonseca Lopes, que esteve à frente das negociações com o governo na greve encerrada na semana passada. Ele deve participar nesta quarta-feira 6 de uma reunião com a Casa Civil para discutir o assunto. “Esperamos encontrar um denominador comum que não prejudique o caminhoneiro. Caso contrário, podem esperar uma nova rebelião.”

O presidente da Abcam afirma que uma tabela de preço mínimo vinha sendo negociada no Congresso antes da greve e de a medida provisória ser emitida. Schmidt afirma que desde 2016 essa proposta vem sendo negociada, sem sucesso – com as condições precárias de trabalho dos motoristas de caminhão no Brasil sendo ignoradas.

“Hoje, não existe categoria mais massacrada que o caminhoneiro. Há trinta anos esse profissional vem sendo explorado”, diz Schmidt, do CNT. Na avaliação dele, se os motoristas autônomos permitirem que o governo elimine essa tabela em favor das transportadoras, eles estarão perdendo uma grande oportunidade de melhorar a qualidade de seu trabalho.

Fonte: Veja, com Estadão

[cotidiano] Presos podem ter de arcar com custos de permanência na cadeia

Os presidiários poderão ser obrigados a ressarcir o Estado por despesas de manutenção com o cumprimento da pena. É o que prevê o Projeto de Lei do Senado (PLS) 580/15, de autoria do senador Waldemir Moka (MDB-MS). O texto foi aprovado nesta quarta-feira (6) pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, em decisão terminativa, por isso, se nenhum senador apresentar recurso para que a matéria seja votada no plenário da Casa, ela segue direto para a Câmara dos Deputados.

De acordo com o projeto, os detentos poderão custear os gastos por meio de recursos próprios ou pelo trabalho. No caso de não possuir recursos próprios, o condenado deverá trabalhar para esse ressarcimento. “O projeto é de importância ímpar, no momento em que o país todo recebe o Atlas da Violência, em que a bandidagem toma conta do país. Cada preso hoje gasta em média R$ 2.440 por mês, valor acima de muitos salários de professores e de muitos profissionais de outras áreas do país”, alertou o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), relator da proposta.

Se proposta também for aprovada na Câmara, a expectativa é de que o Estado tenha mais recursos livres para políticas públicas. “Não vamos ter de gastar com condenado para ficar com mordomia de penitenciárias e sendo recrutados por facções criminosas”, ressaltou Caiado.

Embora o texto proponha a modificação da Lei de Execuções Penais (Lep), ainda segundo o relator, o ressarcimento tratado no projeto tem natureza cível, ou seja: “Não se está falando em punir o condenado mais uma vez pelo crime praticado”. Ele justifica a constitucionalidade da proposta afirmando que, pela Constituição Federal, todos os prejuízos causados ao erário deverão ser ressarcidos.

Fonte: Agência Brasil

[justiça] Juiz manda bloquear salários do prefeito e secretários de Macau, RN

O juiz da Vara do Trabalho da Comarca de Macau, Higor Marcelino Sanches, determinou o bloqueio do salário do prefeito e de todos os secretários municipais daquela cidade até o montante de R$ 400 mil. A decisão, tomada nesta terça (5), é resultado do julgamento de uma ação trabalhista movida por um funcionário contratado pela Prefeitura de Macau. Cabe recurso.

De acordo com o juiz, mais de 30 trabalhadores também ingressaram com ações trabalhistas solicitando o pagamento de salários atrasados. “Trabalhadores sem receber suas verbas mais básicas, como salários dos últimos seis meses. A situação chegou a um estado crítico. Determino o imediato bloqueio do valor de R$ 400 mil, já que cada trabalhador tem, em média, um crédito salarial de R$ 15 mil a receber”, escreveu Higor Marcelino.

O magistrado determinou ainda que, para não haver prejuízo no atendimento das necessidades básicas da cidade, o boqueio de R$ 400 mil deve ser feito do salário do prefeito e de todos os secretários “até que a situação se normalize em relação ao pagamento dos contratos de prestação de serviço”.

Com a decisão, o Banco do Brasil está impedido de pagar os salários do prefeito e dos secretários de Macau.

[segurança] Taxa de homicídios no RN cresce 257% em 10 anos, aponta Atlas da Violência

Em 2006, o Rio Grande do Norte tinha a terceira menor taxa de homicídios do Brasil. Mas a realidade mudou bastante. Uma década depois, o estado se tornou o terceiro mais violento na federação. O crescimento de 256,9%, na taxa de homicídio para cada 100 mil habitantes foi o maior do país, segundo os dados do Atlas da Violência, divulgado nesta terça-feira (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os potiguares conviviam com uma taxa de 14,9 homicídios para cada 100 mil habitantes no início do período estudado. Isso era pouco mais da metade da média nacional, que foi de 26,6 em 2006. Em 2016, porém, a taxa do estado já era de 53,4 contra 30,3 no Brasil.

O estudo é feito com base em dados do Ministério da Saúde. Com 30 assassinatos por 100 mil habitantes, o Brasil tem taxa de homicídios 30 vezes maior que a da Europa.

Antes, o estado só era mais violento que Santa Catarina (11,2) e Piauí (13,8). Apesar de também terem crescimento na taxa, esses estados se mantiveram entre os mais seguros do país. Já o RN encerrou o período figurando entre os mais violentos, atrás apenas de Sergipe (64,7) e Alagoas (54,2).
Crescimento da taxa de homicídios no Rio Grande do Norte e no Brasil
Evolução da taxa para cada 100 mil habitantes entre 2006 e 2016

O problema não é exclusividade do Rio Grande do Norte. Dos sete estados que tiveram crescimento superior a 80% na taxa de homicídios ao longo dos 10 anos, cinco, além do RN são nordestinos. O sétimo é o Acre, na região Norte. O bom exemplo na região foi Pernambuco, que contou com redução de 10,2%.

Ao todo, sete estados reduziram as taxas. Entre eles, os mais populosos do país, como São Paulo, onde a queda da taxa de mortes por 100 mil habitantes ultrapassou 46%. No Rio de Janeiro, a redução foi de 23,4%.

Quase 12 mil mortes

Ao longo dos 10 anos, o estado teve quase 12 mil mortes. Considerando apenas o número absoluto de assassinatos, o estado também registrou o maior crescimento do país. Enquanto no início da década o estado registrava 455 mortes violentas ao longo de um ano, em 2016 elas chegaram a 1854. O crescimento é de 307,5%. No Brasil, esse aumento foi bem menor: 25,8%.

Já o estado com segundo maior crescimento no número absoluto, percentualmente teve metade do resultado potiguar. O Tocantis registrou 152,0% na evolução do número de mortes violentas, passando de 229 casos para 577.

Juventude perdida

O Rio Grande do Norte também encerrou a década estudada pelo Atlas da Violência com a segundo maior taxa de mortes de jovens entre 15 e 29 anos. São 125,6 a cada 100 mil habitantes nessa idade. O estado ficou atrás apenas de Sergipe, com 142,7. A maioria é formada pelos homens. Se for considerada apenas esse grupo, especificamente, a taxa é de 237,3 para cada 100 mil jovens homens potiguares.

Em 2016, 60,8% das vítimas de mortes violentas eram jovens potiguares. Do total de 1.854 mortos naquele ano, 1.129 tinham entre 15 e 29 anos. O crescimento da taxa de homicídios ao longo dos 10 anos, apenas nesse público, foi maior que a média estadual e chegou a 380,1%.

[cotidiano] Incêndio atinge onze ônibus em ferro-velho na Zona Oeste de Natal

Onze ônibus foram tingidos por um incêndio na tarde desta terça-feira (5) na Zona Oeste de Natal. De acordo com a Polícia Militar, os ônibus estavam em uma ferro-velho e um mecânico trabalhava com um maçarico no local quando um dos veículos foi atingido. Pelo menos seis veículos ficaram totalmente destruídos.

O fogo se alastrou rapidamente. O fato aconteceu no KM 6. Ninguém ficou ferido.

Ainda segundo informações da PM, os ônibus eram sucatas e seriam desmontados para que as peças fossem vendidas. O Corpo de Bombeiros foi acionado e controlou as chamas.

A PM descartou qualquer relação do incêndio com os ataques criminosos que aconteceram no estado nos últimos dias.

[segurança] PM prende traficante foragido do Acre em Natal com mais de R$ 100 mil em espécie

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte prendeu no início da tarde desta terça-feira (5) um homem foragido da Justiça do Acre. Gilson Limeira da Silva foi detido no bairro da Redinha, Zona Norte da capital potiguar. Ele é suspeito dos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico, e também de integrar o Comando Vermelho, facção criminosa com base no Rio de Janeiro e atuação em diferentes localidades do Brasil.

Com Gilson da Silva, a PM apreendeu mais de R$ 100 mil em espécie, drogas e quatro carros. Entre os veículos, havia uma Mercedes. De acordo com o coronel Zacarias Mendonça, comandante do policiamento na Região Metropolitana de Natal, a polícia chegou até o homem através do setor de inteligência.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) descobriu que Gilson estava escondido próximo ao Rio Doce, na Redinha, e enviou uma equipe até o local. Ao chegar lá, os policiais encontraram duas casas, uma delas que ainda está em construção, de propriedade do foragido. Em uma das residências, a PM se deparou com sete tabletes de crack, de aproximadamente um quilo cada.

Polícia apreendeu mais de R$ 100 mil com Gilson Limeira da Silva (Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi)

Ainda segundo o coronel Mendonça, a ação continuou e o Bope chegou até um outro imóvel, este em um condomínio no bairro Ponta Negra, na Zona Sul. Nesta segunda etapa da operação foram apreendidos os automóveis (uma Mercedes, um Jeep e dois HB20) e uma pequena quantidade de droga, além de uma balança de precisão e R$ 108.537 em dinheiro. Em um porta cédulas que estava com Gilson da Silva, foram apreendidos ainda R$1.119.

Sete pessoas ligadas a ele foram conduzidas à delegacia para prestar esclarecimentos, contudo todas foram liberadas. Todo o material e também o preso foram entregues à Polícia Federal, que conduz as investigações.

Tráfico de drogas

De acordo com o processo disponível no site do Tribunal de Justiça do Acre, Gilson de tal e um sócio no tráfico de drogas teriam pagado R$ 2,5 mil a uma terceira pessoa para que ela transportasse quatro quilos e cem gramas de cocaína de Rio Branco (AC) até Natal.

Gilson Limeira da Silva virou réu nesse processo, junto com os comparsas, mas conseguiu fugir para a capital do Rio Grande do Norte. O mandado de prisão contra ele estava em aberto desde 2009.

[oportunidade] Instituto Metrópole Digital seleciona estudantes superdotados em Natal

O programa "Talento Metrópole" é voltado para alunos superdotados (Foto: Assessoria UFRN)

Jovens com altas habilidades ou superdotação no domínio da Tecnologia da Informação podem se inscrever em um programa do Instituto Metrópole Digital (IMD), unidade acadêmica da UFRN. O "Talento Metrópole" é voltado para estudantes que estão cursando o 7º, 8º e 9º anos ou o ensino médio, e as inscrições vão até 27 de junho.

O programa visa dar acesso a novos conhecimentos aos estudantes, inclusive em nível de graduação ou pós-graduação, e desenvolver o interesse por pesquisa científica. O Talento Metrópole também se volta para proporcionar aos alunos a ampliação de suas competências, o desenvolvimento de suas habilidades e a expansão da criatividade na área de TI.

Após as inscrições online, os alunos passam por uma prova escrita, no dia 30 de junho, competindo por 45 vagas para participar do "Curso de Inverno do IMD". Durante a realização desse curso, entre 9 e 13 de julho, são escolhidos os estudantes para integrar o "Talento Metrópole".

“O programa dá para os alunos algo de grupo, de identidade, porque esse é um espaço deles. Eles têm essa sala, os interesses são comuns, a TI os aproxima, guia suas leituras, é um ambiente de desenvolvimento”, explica a psicóloga Juliana Teixeira, que compõe a equipe do programa.

Serviço

O quê: Programa Talento Metrópole 
Inscrições: 1 a 27 de junho, no formulário online
Edital: no site
Informações: por e-mail (talentometropole@imd.ufrn.br) ou telefone (3242-2216, ramal 233)

[justiça] Após empate, STF adia julgamento sobre recebimento de denúncia contra Agripino

Após um empate de dois votos a dois no julgamento sobre o recebimento da denúncia contra o senador Agripino Maia (DEM-RN) nesta terça-feira (5), o presidente da Segunda Turma, ministro Luiz Edson Fachin, decidiu suspender o caso para coleta do voto de desempate do ministro Celso de Mello, que não estava presente à sessão. A análise da denúncia será retomada na próxima terça (12).

Agripino Maia foi acusado pela Procuradoria Geral da República por, como senador e presidente nacional do DEM, ter aceitado e recebido vantagens indevidas de R$ 1,15 milhão de um empresário para execução de contrato para inspeção veicular ambiental em Natal.

As acusações foram embasadas na delação premiada do advogado e empresário George Olímpio, investigado na Operação Sinal Fechado, deflarada no Rio Grande do Norte.

No começo de maio, o relator, ministro Ricardo Lewandowski, havia votado para o recebimento da denúncia, o que transformaria o senador em réu.

Ele considerou que havia indícios suficientes contra o senador, o que justificava a abertura de uma ação penal para aprofundamento da investigação. O ministro votou, no entanto, para arquivar acusações referentes à ex-governadora Rosalba Ciarlini, atual prefeita de Mossoró. A acusação indicou que ela teria ajudado o senador a obter vantagens indevidas. Na ocasião, Gilmar Mendes pediu vista.

Ao retormar o voto nesta terça, o ministro levantou um questionamento: propôs a anulação da delação de George Olímpio. Segundo o ministro, o acordo não poderia ter sido firmado pela PGR porque o caso corria na Justiça local.

Ele acrescentou que a delação foi firmada por dois procuradores designados, sendo um deles Marcelo Miller, investigado por supostamente ter orientado, enquanto ainda integrava o Ministério Público, executivos da J&F que firmariam delação. E que quem deveria ter assinado era o então procurador-geral, Rodrigo Janot.

"Essa lei já produziu efeitos diversos. Miller trouxe corrupção para dentro do processo da delação, o que é um fato grave. Vamos ter que escrutinar tudo o que esse senhor fez. Era o cérebro da Procuradoria na gestão Janot. Aquilo que não se conhecia nos Estados Unidos ocorreu aqui. Eu já tinha conhecido procurador preguiçoso, que não trabalhava. Procurador louco, procurador bêbado, mas não procurador ladrão. O Miller veio a revelar essa faceta, extremamente grave", disse Gilmar Mendes.

O ministro Dias Toffoli concordou que era questionável o fato de o acordo não ter sido assinado pelo então procurador Rodrigo Janot. "Eu não posso delegar a juiz homologar acordo. O PGR tem que se responsabilizar institucionalmente", disse. Mas ele foi contra anular a delação. Por três a um, os ministros rejeitaram anular a delação.

Depois, Gilmar Mendes votou sobre a acusação e votou para a rejeição da acusação. COnsiderou que não havia elementos suficientes e que já havia crime prescrito, quando não pode haver punição em razão do tempo decorrido dos fatos.

o relator, Ricardo Lewandowski, novamente apresentou argumentos dizendo que havia elementos mínimos e que a questão seria comprovada no curso do processo. Caso a denúncia seja aceita, o prazo de prescrição, que ocorre no fim deste mês, é zerado.

Toffoli concordou com Gilmar sobre a rejeição da denúncia. E Fachin ficou com Lewandowski para Agripino Maia virar réu. Fachin, como presidente da turma, anunciou que eles aguardariam a próxima semana para voto de Celso de Mello.

[economia] Governo do RN anuncia data de pagamento de salários de maio a servidores que recebem até R$ 4 mil

Governo do Rio Grande do Norte anunciou nesta terça-feira (5) que vai pagar no próximo sábado (9) o salário de maio dos servidores estaduais que recebem até R$ 4 mil.

Porém, a Secretaria de Planejamento informou que os servidores da Segurança, sejam ativos, inativos ou pensionistas, terão os vencimentos depositados já nesta quarta (6).

No Sábado (09), será a vez dos servidores da Saúde, independente da faixa salarial, e os demais servidores que recebem até R$ 4 mil, sejam ativos ou inativos.

O pagamento dos servidores que ganham acima de R$ 4 mil e não fazem parte da Segurança, da Saúde e da Educação, ainda não tem data definida.

Segundo o governo, após essa semana, terão sido quitados os pagamentos de maio de 98 mil dos 112 mil servidores do Estado - o que equivale a 87% da folha. Os 23 mil servidores da Educação, Detran, Ipern, Idema e DEI, que contam com outras fontes de recursos, receberam o salário no dia 30 de maio.

[segurança] Motorista de prefeito é atingido por tiros na Zona Sul de Natal

Motorista e cunhado do prefeito de Extremoz foi atingido por vários disparos (Foto: Divulgação Polícia Militar )

O motorista e também cunhado do prefeito de Extremoz, município da Grande Natal, foi alvo de tiros na noite desta terça-feira (5) no bairro Neópolis, na Zona Sul da capital. De acordo com a Polícia Militar, o homem estava sozinho no veículo na rua Porto de Pedras, por volta das 19h30, quando foi atingido pelos disparos. Tiros partiram de um carro Corolla.

Leandro de Souza Costa, de 30 anos, foi socorrido ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho e se recupera de duas cirurgias. A Polícia Militar não sabe o que motivou o crime. Ninguém foi preso.